Vencedor do Prêmio 2018: Melhor escolha na escola melhor, alimentação e recreação

Autoras: Tânia Cristina Silva e Silvana de Lima
Escola: EMEF Prof. Amaury Pacheco
Cidade: Marília (SP)
Ano: 2018
Objetivos do projeto: Transformar o momento do almoço em uma ocasião atrativa e significativa por meio da cozinha experimental, implementação de horta escolar e melhorias no refeitório.

Lançar um novo olhar sobre a formação dos alunos, possibilitando a ampliação da forma de pensar, agir e se posicionar diante do mundo, com consciência alimentar e corporal. Este é o objetivo do projeto Melhor escolha na escola melhor, alimentação e recreação, desenvolvido na EMEF Prof. Amaury Pacheco, em Marília (SP).

A professora de matemática e idealizadora do trabalho, Tânia Cristina Silva, conta que a escola funciona em período integral e atende famílias economicamente desfavorecidas. Lá são oferecidas todas as refeições, com exceção do jantar. “Observamos que alguns alunos rejeitavam os alimentos disponibilizados pela escola mesmo sem provar, e os substituíam por guloseimas e lanches. “Alguns deles ficavam até sem se alimentar ”, comenta.

Tais comportamentos, observou ela, favoreciam a indisposição, irritação, além da alteração de peso e altura dos estudantes. Diante desse quadro, nasceu o projeto, que tinha como desafios principais transformar o momento do almoço em um evento atrativo, ampliar o cardápio escolar e o paladar das crianças, além de incentivar a prática de atividades físicas, o hábito de beber água regularmente e o convívio social durante as refeições.

Passo a passo do projeto

Passo 1 – Tenda de sugestões

Após a leitura de literatura infantil e discussões em torno do tema da alimentação saudável, os alunos do 1º. ao 5º ano do Ensino Fundamental puderam sugerir melhorias no refeitório da escola. Foram mencionadas: apresentação do cardápio, decoração, atendimento e outros aspectos.

No dia seguinte à ação, foi exposto um placar em forma de tenda, contendo as mudanças possíveis de serem realizadas e as equipes que iriam contribuir com a implantação das melhorias no refeitório.

 

Passo 2 – Implantação de melhorias

A partir dos dados coletados, foi implantada uma horta com verduras, hortaliças e legumes no espaço escolar. Além disso, foram realizadas adequações das condições do reservatório de água e a instalação de bebedouros, garantindo que os alunos tivessem alimentos frescos e saudáveis, além de acesso à água sempre que quisessem. Esta etapa também previu a realização de pesquisas sobre o valor nutricional dos alimentos cultivados na horta e que estavam previstos no cardápio da escola.

 

 

Passo 3 – Um dia de repórter

Nesta etapa, os alunos realizaram entrevistas com a equipe de cozinheiras da escola sobre o cardápio, armazenamento, sobras e desperdício de alimentos. O objetivo era colher informações para a criação dos cartazes do passo abaixo. Esta fase também contemplou visitas à cozinha, orientação sobre os hábitos posturais, de alongamento, de aquecimento e pesquisa na oficina de recreação e esportes.

Passo 4 – Mão na massa

Os alunos manipularam e prepararam alimentos na cozinha experimental e também criaram cartazes informativos sobre os cardápios e a importância da ingestão da água, que foram distribuídos por toda a escola.

Passo 5 – Mais estudos

Foram realizadas palestras e workshops com profissionais de educação física convidados. Os alunos também fizeram pesquisas sobre nutrição e desenvolvimento/desempenho físico, fundamentando o aprendizado e estimulando a curiosidade.

Passo 6 – Evento de culminância

Em novembro 2018, foi realizado na escola o evento de inauguração das benfeitorias e divulgação do projeto para a comunidade escolar e autoridades locais. Neste dia, também foram entregues livros de receitas saudáveis para os pais dos alunos.

Passo 7– Avaliação

Observação, entrevistas e anotações semanais utilizando os seguintes indicadores:

  • Percentual de participação dos grupos (famílias, alunos e equipe escolar) no projeto
  • Cumprimento das ações dentro do prazo estimado
  • Quantidade de alunos que demonstraram mudanças de comportamento positivas em relação a alimentação e ingestão de água
  • Verificação do número participantes das aulas de educação física
  • Coleta de dados sobre o desperdício de alimentos antes e depois do projeto
  • Acompanhamento nas atividades preparativas fora da escola
  • Socialização dos conhecimentos e curiosidades trabalhadas no ciclo de atividades

Resultados

  • 130 alunos e 12 professores participaram ativamente do projeto
  • A autoestima das crianças foi reforçada ao pesquisarem e criarem receitas saudáveis, sendo os protagonistas da sua própria aprendizagem
  • Participação nos eventos semanais que finalizavam o ciclo de atividades
  • Aumento do envolvimento em cuidados com a horta
  • Mudanças comportamentais: alunos mostraram-se mais participativos nas ações, demonstrando inciativa e autonomia ao se servirem sozinhos

 

Para mais informações, acesse: EMEF Amaury Pacheco nossa escolha.