Alimentação saudável na escola: respeito entre a equipe e conscientização dos sujeitos envolvidos

Autor: Célia Cristina de Figueiredo Cassiano
Escola: EMEF Ministro Aníbal Freire
Cidade: São Paulo
Ano: 2017
Objetivos do projeto: estimular hábitos saudáveis e evitar o desperdício de alimentos

Meu nome é Célia Cristina de Figueiredo Cassiano e sou diretora de Escola EMEF Ministro Aníbal Freire, localizada na Vila dos Remédios, região do Ceasa, em São Paulo (SP). Quando assumi a direção da escola, em 2014, tive vários desafios em relação à alimentação escolar.

Os alunos traziam salgadinhos e refrigerantes em excesso e poucos comiam a merenda oferecida, havendo um grande desperdício de alimentos. Além disso, tanto o refeitório, como o pátio ficavam sujos após o intervalo.

A partir destes desafios, houve investimento em duas frentes: gestão de pessoas e conscientização da comunidade escolar sobre a necessidade de respeitarmos todas as equipes, pois todos que atuam na escola são educadores em diferentes instâncias, bem como sobre a necessidade de adoção de uma alimentação saudável, de evitar o desperdício e de respeitar o ambiente escolar. Também houve necessidade de fazer a conscientização do respeito ao trabalho dos agentes envolvidos no preparo dos alimentos e na limpeza da escola.

Temos orgulho em relatar que, nestes quatro anos, muitos ganhos foram alcançados! Mantemos a mesma equipe de merendeiras até hoje, todos elogiam a qualidade e o capricho da alimentação servida na escola.

Também foi feito um grande trabalho de conscientização com pais e alunos sobre a qualidade da merenda escolar e especificidades deste processo na Secretaria Municipal de Educação (ao seguir padrões de segurança alimentar, fornecer também alimentação orgânica e valorizar a agricultura familiar, entre outras ações), sendo que, após a ação, salgadinhos e refrigerantes foram proibidos na escola, e as refeições servidas aumentaram, tudo com anuência de pais e alunos.

Nesse processo, também foram desenvolvidos vários projetos que implicavam alimentação saudável na escola, com especificidades das propostas dos docentes e alunos envolvidos.

Quem participou?

  • Alunos
  • Gestão
  • Professores
  • Equipe administrativa
  • Terceirizadas (cozinha e limpeza)
  • Pais

Desdobramentos

Os resultados alcançados nos dão motivo de orgulho: substituição de salgadinhos e refrigerantes pela merenda servida na escola, ou por um lanche mais nutritivo trazido de casa pelos alunos. Passamos a ter também a gestão da equipe da cozinha com parceria e respeito, obtendo ganhos para toda a comunidade escolar.

Expectativas

Um processo sempre é gradual e não tem resultados imediatos. Há de se planejar, executar e avaliar os diferentes processos e projetos na escola. Assim foi conosco: muitos ganhos atingidos, mas ainda estamos em processo para garantir e ampliar os ganhos já obtidos.