Conheça os resultados dos projetos vencedores do Prêmio e inspire-se!

Você acredita que é possível ter uma pista de atletismo, uma cozinha experimental, espaços multimídia, parque e quadra com equipamentos modernos, além de uma horta, com alimentos fresquinhos para serem servidos na merenda das escolas públicas?

Não só é possível como foi o que aconteceu com as instituições vencedoras da primeira edição do Prêmio Crianças mais Saudáveis, da Fundação Nestlé. A iniciativa visa promover a alimentação saudável e estimular a prática de exercícios físicos nas escolas públicas, por meio de edital que reconhece os melhores projetos voltados à educação alimentar.

Além de benfeitorias no valor de R$ 35 mil, também foi oferecido, como parte da premiação, formações presenciais e online aos professores. Confira abaixo os resultados e transformações de cada escola.

Escolas de São Paulo

Projeto comer, correr e saltar, é só começar
E.E. José Dos Santos | Aspásia

Para que seus alunos tivessem a oportunidade de treinar a modalidade de atletismo e participassem de competições nacionais, a professora de Educação Física Rosalina de Lázaro solicitou a construção de uma pista de atletismo e equipamentos designados para esta prática como benfeitoria do Prêmio. O projeto prevê jogos de corrida, saltos e arremessos, além de preparação de alimentos em sala de aula para reforçar a importância da alimentação saudável e dos exercícios físicos.

      
 

Horta em movimento
EMEF Profº Euclydes Ferreira | Caraguatatuba

Você já pensou que pode usar a energia gerada a partir das atividades físicas humanas para irrigar uma horta? O professor de educação física Mário Luis sim! Ele e seus alunos criaram um sistema eletrônico de irrigação por gotejamento que permite que a plantação da escola seja irrigada a partir dos movimentos de bicicletas. É um jeito inusitado e criativo de estimular a prática de exercícios e promover a alimentação saudável. Como benfeitoria do Prêmio foram instaladas bicicletas e materiais eletrônicos, e construído uma  sala de ginástica e uma horta.

     
 

Brincadeiras brasileiras
E.M. Prof. Edemir Antonio Digiampietri | Sorocaba

Se exercitar e aprender brincando! Essa foi a ideia da professora Patrícia Cardoso para incentivar seus alunos a terem uma vida mais ativa e saudável. Como benfeitoria do Prêmio foi construído um parquinho completo e moderno, que conta com balanço, escorregador, trepa-trepa, escalada de cordas, torre de pneus, ponte pênsil e tubo de bombeiros. Também foram feitas pinturas no chão do pátio com jogos de amarelinha, ludo, twist e acerte o alvo.  O projeto também prevê o resgate de brincadeiras tradicionais dos povos indígenas, europeus e africanos e a confecção dos próprios brinquedos com materiais recicláveis como garrafas PET e CDs usados.

      
 

Melhor escolha na escola melhor, alimentação e recreação
EMEF Prof. Amaury Pacheco | Marília

Para ensinar os seus alunos sobre hábitos saudáveis, a professora Tânia Cristina pediu como benfeitoria uma horta e uma cozinha experimental, onde os alunos podem, literalmente, colocar a mão na massa. Da horta saem alguns dos alimentos da merenda escolar, como beterraba, cenoura e alface. Além disso, como parte das benfeitorias do Prêmio, foi implementado um playground com escorregador e balanço para que a criançada possa gastar bastante energia.

    
 

Pratos limpos
EMEF Professora Leonor Bicudo Vizenzzotto | Botucatu

Nada como poder colocar os ensinamentos da sala de aula em prática não é mesmo? Foi pensando nisso que a professora Elis Regina desenvolveu o projeto, que visa ensinar o preparo de alimentos saudáveis na cozinha da escola, usando conceitos e conhecimentos nutricionais adquiridos nas aulas de matemática e ciências. Alguns dos ingredientes das receitas são colhidos na horta da escola, que é uma das benfeitorias do Prêmio. Na escola também foi construído um parquinho colorido com escorregador e parede de escalada.

    
 

Escolas da Bahia

Comer bem faz bem, viver melhor é bom D+
Iromar Silva Nogueira | São Francisco do Conde

Uma área externa completamente transformada! Antes o que era um espaço sem uso virou um local de esporte e lazer, com quadra de futebol e amarelinha, para que os alunos possam praticar exercícios e brincar. Além disso, foi construída uma horta como benfeitoria do Prêmio. O projeto ensina hábitos saudáveis por meio da literatura, teatro de fantoches, brincadeiras antigas, esporte e plantio.

    
 

Projeto vida saudável sem barreiras
Escola Municipal de Iguape | de Ilhéus

Democratizar a prática esportiva para os alunos e comunidade no entorno. Esse é um dos principais objetivos do projeto. Por isso, a professora de educação física Maria Sandra Santos Leone aproveitou a oportunidade do Prêmio para transformar uma área inutilizada da escola em uma bela quadra de esportes para os estudantes, e pessoas que moram na região. Também foram adquiridas bolas de handebol, basquete, vôlei e futsal.

    
 

Alimentação saudável: uma história a ser contada
Colégio Estadual Césare Casali | Salvador

Para melhorar os hábitos alimentares dos alunos e de suas famílias, Carla Julita, professora de português, fez a requisição de uma horta escolar. Segundo ela, o bairro onde a escola está localizada tem muitas casas com quintais, tornando importante ensinar sobre o plantio de alimentos orgânicos. Houve também a reforma e aquisição de materiais eletrônicos para um espaço multimídia para os alunos. O projeto envolveu produção textual e encenação com contação de histórias.

    
 

Comer bem faz bem
Escola Municipal D. Pedro II | Cafarnaum

Valorizar os alimentos locais. Essa é uma das principais ideias do projeto, que tem a palma, vegetal típico do semi-árido, com um dos protagonistas do trabalho. Para isso, foi realizada uma reforma completa do pátio da escola, que também é utilizado para as refeições.  Também foram adquiridas mesas, cadeiras, armários e outros utensílios de cozinha para que as crianças tenham mais autonomia e conforto na hora da alimentação.

     
 

Você é o que você come ou consome?
Escola Municipal Castro Alves| Botuporã

Cozinha de produção com refeitório ampliado e uma horta, todas essas benfeitorias realizadas na escola auxiliaram Gabriele Carvalho, professora de português, a cumprir seu objetivo: ajudar na reeducação alimentação dos seus alunos, mostrando a importância de ter hábitos mais saudáveis. O projeto também incentivou as atividades esportivas, por meio do dia D do  Esporte no ginásio da cidade.

     
 

Aproveite as histórias acima e inspire-se para desenvolver um projeto voltado à educação nutricional dos alunos! Aqui, neste site, você encontra cursos, guias e outros materiais para te ajudar.